fbpx

Dia Internacional do Milho

Em 24 de abril é comemorado o dia internacional do Milho. A data celebrada anualmente tem como objetivo homenagear um dos cereais mais nutritivos do mundo. Normalmente, para a comemoração do Dia do Milho os agricultores realizam festivais com exposições de comidas típicas feitas a base deste cereal, além de concursos de artesanatos feitos com partes da espiga do milho, infelizmente devido ao cenário atual não será possível essa celebração. 

O milho é considerado por muitas pessoas, além de um simples alimento, existe uma representação de valor cultural, principalmente entre os povos das Américas. De acordo com a sua história, os primeiros registros são de pequenas ilhas no México, porém devido ao clima local não demorou muito para a cultura se espalhar por todo o país.

No Brasil, os indígenas já plantavam milho antes mesmo dos portugueses chegarem na nossa terra, pois o cereal era um dos alimentos principais da dieta deles. Com os colonizadores, o produto foi levado para a Europa e por lá consolidou-se como uma fonte alimentar das populações mais humildes. 

Há ainda a história de que por muito tempo o milho foi considerado como comida de escravo, pois a alimentação básica deles nas senzalas era a base de farinha de mandioca e angu de milho. Entretanto, o cereal contornou essa visão se tornando um alimento para todos e de todos. 

O Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de milho do mundo. Para se ter uma ideia, em um único ano são produzidas duas safras, a de verão (nos meses de setembro a dezembro) e a safra de inverno, conhecida como safrinha (de janeiro a abril). Entretanto, desde 2019, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) tem considerado como parte dos dados da produção nacional de milho uma terceira safra. Essa safra mais tardia, ocorre, principalmente, nas regiões produtoras dos estados da Bahia, de Sergipe, de Alagoas, de Pernambuco e de Roraima, onde o plantio se estende de abril a junho.

Ainda de acordo com a Conab, a safra 2020/21 deve registrar um novo recorde, o Brasil deverá colher 105 milhões de toneladas do grão em 2021, representando um crescimento de 2,9% em relação ao mesmo período no ano anterior. Além disso, o preço da saca do milho para maio de 2021 já bateu o recorde de valor, sendo acima  de R$ 100 reais.

Os números do milho colocam a cultura como a segunda principal do agronegócio brasileiro, tendo os Estados de Goiás, Mato Grosso e Paraná como líderes na produção nacional. Em território goiano, os municípios de Rio Verde, Jataí e Cristalina se destacam em cenário nacional. Em 2019, a cidade de Rio Verde se afirmou como segundo maior produtor de milho do País, com mais de 2,310 milhões de toneladas produzidas. Em quarto lugar, ficou o município de Jataí, com mais de 1,605 milhão de toneladas colhidas neste mesmo ano. E Cristalina se destacou com o sexto maior faturamento, R$ 2,388 milhões de reais. 

O milho  é fundamental para o mundo. Além de ser um dos alimentos mais nutritivos que existem, é fonte de renda para diversos setores.  A produção do grão, aliás, se divide em diferentes tipos, como o de pipoca, milho-verde que pode ser chamado também de duro, doce, dentado e mole e além disso o cereal apresenta diferentes cores. Aqui no Brasil além do tradicional amarelo, pode ser encontrado o branco. 

DeFato.com - Mossoro

O dia Milho é uma boa oportunidade para fazer as comidas típicas, como canjica, angu, cural, bolo de milho, bolo de fubá, pipoca, cuscuz, milho cozido e etc. Aliás, nada como celebrar essa data de uma maneira agradável reunindo a família e fazendo aquela pamonhada.

Ver todas as publicações